Prateleiras

terça-feira, 30 de março de 2010

Saga Warriors XII: A Substituta

Chegamos ao 12º livro da Série Warriors, de Margaret Moore. Se acabou? Nananinanão! Ainda há outros depois deste, rssss
Confesso que "A Substituta" é um dos livros que está na minha lista não-vendo-não-troco-não-dou. Ele não tem nada demais. É um Clássico Histórico basicão, daqueles mais fininhos, a história é bem clichê mas... Sabe quando o livro tem algo a mais, algo que te cativa? Bem, este, na minha opinião, tem esse toque.
A protagonista da história, Elizabeth Perronet, é a prima da Geneviéve do livro "A Dama e o Sedutor". Geneviève era a prometida original de Raymond D'Estienne, lorde Kirkheathe. Porém, como todas nós sabemos, a moça preferiu pular na cama de Dylan DeLanyea e deixou o noivo chupando dedo. Daí, o esperto pai de Geneviéve, e tio da desventurada (?) Elizabeth, tem uma idéia genial. Afinal, no contrato de casamento estava estipulado que Raymond se casaria com uma Perronet, mas não especificava qual!
Kirkheathe é um cara do tipo "ame-o ou deixe-o". Amargurado, desconfiado até da sombra, traumatizado pela traição da falecida ex e por uma tentativa de assassinato, ele custa a baixar a guarda. Até porque, apesar de julgado inocente no assassinato da esposa, ele é olhado com desconfiança até mesmo por sua gente. E, para completar, Raymond age com a sensibilidade de um trator na noite de núpcias, vive de cara a amarrada, dorme com um olho aberto e outro fechado e se faz acompanhar por um meigo totó chamado Cadmus. Mas...
Mas chega Elizabeth. Uma das heroínas mais cativantes de MM. Doce, ingênua ao extremo, autêntica, falante como uma criança eternamente carente de atenção, ela tinha tudo para ser uma verdadeira mala, mas não é!
Criada num convento desde menina, sob a batuta de uma madre superiora pra lá de malvada (isso me fez lembrar Arn e a historia da Cecilia) Elizabeth se vê como um estorvo na vida do tio e, posteriormente, de Kirkheathe. Com a autoestima lá embaixo, a moça se acha feia, desajeitada e praticamente implora a Raymond que se case com ela, quando o lorde descobre que vai levar gato por lebre. E, aparentemente tocado pela maneira estúpida com que o tio trata a moça, ele acaba cedendo. Daí pra frente o que vemos é a lenta, mas inevitável, capitulação de Raymond diante da doçura e da autenticidade de Elizabeth.
Uma das cenas que mais me tocou (SPOILLER ) foi aquela em que Raymond deixa cair todas as suas defesas e confessa a Elizabeth, apesar da raiva e da mágoa que sente, que amou loucamente a primeira mulher. Linda!
Enfim, "A Substituta" é um livro doce, delicado, daqueles que é bom a gente ler quando está propensa a dar alguns suspiros.

FICHA TÉCNICA:
Clássicos Históricos 213
Autora: Margaret Moore
Título Original: The Overlord's Bride
Publicação no Brasil: NC, 2001
Publicação Original: Harlequin, 2001

FORA UM ASSASSINATO HEDIONDO...

A primeira esposa de lorde Kirkheathe morrera e havia rumores que o comprometiam. Mas ele queria herdeiros, e apenas por isso aceitara casar-se com Elizabeth Perronet. Aquele homem severo realmente não era um selvagem, mas por que teria a reputação de ser tão indomável e rude?

Traição, teu nome é mulher!
Pelo menos era assim que pensava Raymond D'Estienne, graças a decepção que tivera no primeiro casamento. Como poderia, então, lidar com a admirável Elizabeth, que acabara de sair do convento e que estava determinada a mudar-lhe a vida de uma maneira que ele jamais ousara sonhar?

2 comentários:

Carol disse...

Esse livro eu li há um tempo e também achei ótimo.
Está guardadinho, no máximo empresto para que outras pessoas saibam o quão bom ele é.


Acredita que só me falta o 1º livro?!
O Alma Guerreira?!

Drica_BT disse...

Nossa, Carol, eu custei pra conseguir meu "Alma Guerreira", Foi uma amigona lá de BSB que achou pra mim. Mas vale a pena a busca, é mto bom! Qto ao "Substituta", ele é muito cute!
BJS