quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Nacionais 2018 #6 1943 - Luciana Klanovicz

Seguindo na minha proposta de conhecer novos autores nacionais, abracei a leitura de "1943" da historiadora catarinense Luciana Klanovicz. A trama começa no ano de 1943 e tem como protagonista Maria, uma jovem brasileira que ganha a vida como cantora num bar da França ocupada pelos nazistas. Sua vida muda totalmente quando conhece Phillip, um matemático inglês que espiona para os aliados. Muito apaixonados, os dois ignoram os sinais à volta e quando se dão conta, a guerra chega até eles. E é aí que o caldo entorna...
A história de Maria, sua trajetória através dos territórios ocupados, sua luta pela sobrevivência e para manter a própria identidade são, na minha opinião, o que sustenta todo o enredo. Muito mais do que seu romance com Phillip. Maria come o pão que o diabo amassou com as patas enlameadas, mas sempre consegue emergir das cinzas como uma Fênix, e cada vez mais forte.
Já o "mocinho"... Apesar de Philip ter passado por uma provação bem grande, eu não consegui ter empatia por ele. Para mim o grande protagonista, ao lado de Maria, foi Edgar.
[ALERTA DE SPOILLER - Passe o mouse para ler]
Aliás, eu não torci por Phillip. Achei que ele não mereceu o final que teve. Phillip foi fraco em inúmeras situações. E enquanto Maria lutava bravamente para sobreviver, ele foi escroto, deu chilique e comparou-a a uma prostituta. E olha que nem vou comentar aqui da peguete dele no campo de prisioneiros e depois da noiva que ele arruma na Inglaterra... Francamente! Nada que me digam vai me fazer mudar de ideia. Eu torci mesmo foi pelo Edgar. E achei o final dele indigno. #prontofalei
[ACABOU O SPOILLER]
Tirando o fato de eu não gostar do Phillip, o livro teve cenas muito bonitas e tocantes. O caldo histórico consegue amarrar tudo bem direitinho e é possível visualizar, enquanto lemos, a ação dos personagens, as cidades devastadas, a desesperança e a incredulidade das pessoas.
Senti falta de mais profundidade em alguns personagens secundários que aparecem na trama. Até porque eles foram importantes para a trajetória de Maria, Phillip e Edgar. Mas, para nós, eles parecem meio que jogados para escanteio. 
Eu gosto muito de romances históricos, mas geralmente busco tramas ambientadas no período medieval ou, no máximo, até meados do século XIX. A leitura de "1943" foi uma gratificante saída da zona de conforto, principalmente por tratar de um fato que, embora tenha acontecido há mais de 70 anos atrás, permanece ainda muito vívido em nossas mentes.

"1943"
Luciana Klanovicz
Independente
Número de páginas: 411
ASIN: B0755QGRHQ

terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Banca 2018 #1 - A Máscara da Sedutora - Victoria Holt

Fazia tempo que eu não lia um livrinho de banca. Este estava aqui em casa há tempos, nem lembro onde comprei. Com certeza num sebo. Meu exemplar tá bem velhinho e remendado, rss
Eu nunca tinha lido nada desta autora, então comecei sem expectativas. E já de antemão aviso: a sinopse não faz jus à obra! 
A primeira coisa que me chamou a atenção no livro foi o fato de ser escrito em primeira pessoa, coisa absolutamente incomum em livros de banca. Este pertence a coleção Best Sellers, publicada pela Abril Cultural na década de 1980.
O livro é dividido em partes e narrado por duas pessoas: Suewellyn e Anabel. Não se trata de uma novela, como habitualmente vemos e sim, de um romance de época que percorre uma longa linha do tempo, entremeando passado e presente em sua narrativa. Ele pede uma leitura atenta, já que são muitos personagens e situações e, em determinados momentos, você precisa dar uma espiada algumas páginas atrás para se lembrar de quem é quem.
Eu fiquei muito presa à narrativa, apesar de não ser um livro repleto de ação. Ele tem muitos mistérios, intrigas, traições e a cada página você encontra uma surpresa. Francamente, eu não esperava encontrar uma história tão boa quando comecei a ler!
Uma das coisas que me incomodou um pouco foi a dificuldade em me situar no tempo em que ocorre a ação. Não sei se isso foi um recurso proposital da autora, ou se foi uma falha da editora ao não mencionar no capítulo de abertura. Só muito à frente é que se percebe que ele transcorre em fins do século XIX.
Eu não vou falar muito sobre a trama aqui porque acho que qualquer coisa que diga vai acabar virando spoiller! Mas a ação começa com a narrativa angustiada de Suewellyn, que relembra sua infância, introduzindo-nos então ao grande drama familiar dos Mateland, que envolve a trágica história de amor entre seus pais. É a partir dessa teia de ações, reações e consequências que o destino de Suewellyn é traçado. E que destino!!! Quando você pensa que a narrativa vai seguir determinado curso, a autora chacoalha tudo e vai por um caminho totalmente diferente e, ainda assim, completamente verossímil.
Se você tropeçar neste livro num sebo da vida, leve-o para casa! A leitura vale muito a pena! É uma história emocionante e um livro acima da média!

A Máscara da Sedutora
"The Mask of Enchantress"
Victoria Holt
A.M. Heath and Co. Ltd., Londres, 1980
Abril S.A. Cultural, São Paulo, 1985
340 páginas

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

Nacionais 2018 #4 O Refúgio do Marquês - Lucy Vargas

Eu sempre tive a convicção de que determinados livros - assim como acontece com pessoas e situações - procuram a gente no momento certo de nossas vidas. Eles chegam no exato instante em que precisamos deles, seja para nos dar alegria, seja para nos fazer ver o mundo de outra forma, seja para resgatar coisas que temos guardadas e que precisamos elaborar dentro de nós. "O Refúgio do Marquês" teve esse efeito em mim!
O livro estava comprado desde o meio do ano passado, mas ficou aqui na estante. Li outro da Lucy nesse meio tempo, além de outros livros dos mais variados gêneros e autores. Daí resolvi encarar o Marquês durante meu "retiro de Carnaval". Pronto! Fiquei grudada nele uns 3 dias. Só não li mais rápido porque estou trabalhando no meu próprio livro, e precisei dividir o tempo. Mas esta última noite foi para devorá-lo até o final.
O texto da Lucy Vargas, como sempre, é muito fluido. Ela consegue costurar muito bem cenas leves, bem-humoradas e românticas com outras mais pesadas e dramáticas.
O fio condutor é a história de Caroline, a jovem, empobrecida e viúva Baronesa de Clarington. Ela é acolhida por sua parente distante, Lady Hilde Preston, a Marquesa-Viúva de Bridington. A velha senhora a envia a casa de seu filho, Henrik, o atual Marquês, numa missão de reformar a mansão decadente e, talvez, seu próprio filho.
O sofrido Henrik vive como um recluso no campo, junto com a filha Lydia e a detestável Roseane, a Marquesa. Esta última vive acamada há muitos anos e é o pivô de todos os sofrimentos dos habitantes de Bright Hall.
Ops! peraí? O mocinho é casado??? Bem, é aí que a coisa começa a tomar um rumo bem diverso do que habitualmente se vê nos romances do gênero. Porque Lucy consegue, com esse mote, tirar a gente da zona de conforto. Caroline não é nenhuma "destruidora de lares", nem Henrik é o arquétipo do cafajeste. E Roseane está a anos-luz do modelo santa-esposa-traída. Eles são todos muito humanos, cheios de conflitos, de mágoas, tristezas e mazelas. Para quem consegue ler nas entrelinhas e realmente mergulhar no drama vivido por Henrik e Caroline, o livro é realmente tocante. Tudo o que você quer é ler até o final e torcer para que eles consigam superar todas as barreiras que os impedem de serem felizes. Ao deixar o olhar hipócrita e puritano de lado, vemos uma situação que pode acontecer com qualquer um de nós, humanos que somos.
Eu comecei a ler esse livro sem muitas pretensões, apenas para me divertir e curtir o texto de uma excelente escritora nacional. Mas ele me surpreendeu e me causou uma verdadeira catarse emocional. Por isso ele entrou para meu rol dos favoritos!

"O Refúgio do Marquês"
Lucy Vargas
Editora Charme
ISBN-10: 856805613X
ISBN-13: 978-8568056134
312 páginas
Idioma: Português

sábado, 10 de fevereiro de 2018

Nacionais 2018 #3 Théo e a Maldição das Cores - Anaté Merger

Theo e a Maldição das Cores é o terceiro livro nacional que leio este ano. Escrito pela jornalista franco-brasileira Anaté Merger, é uma fábula graciosa e tocante, que agrada tanto crianças quanto adultos. Com uma narrativa linear e de fácil entendimento, o texto está longe de ser simplório, pecado que alguns autores do gênero acabam cometendo por subestimarem os jovens leitores. O texto da Anaté tem riqueza vocabular sem se tornar chato, descrições bem feitas sem se tornar cansativo. 
O livro conta a história do príncipe Théo, herdeiro da casa de Dracoon, um dos cinco reinos de uma terra imaginária onde os povos são segregados pela cor de sua pele. Aquele que nasce com cor diferente, é banido de seu reino. O jovem príncipe percorre duas grandes etapas em sua jornada do herói. Na primeira parte do livro temos o Théo muito jovem, fraco e imaturo, sofrendo nas mãos do rancoroso príncipe do reino de Azurium. Esta primeira etapa, de construção do personagem e de apresentação de todo o contexto ao leitor, é um pouco mais lenta e descritiva. Já na segunda parte, quando Théo é impelido pela necessidade se lançar numa viagem pelos cinco reinos, a narrativa se torna mais acelerada, com o príncipe enfrentando vários perigos e aventuras. É aqui também que entram outros personagens, bastante divertidos aliás!
O livro me deu a impressão de uma mãe contando uma história a seu filho na hora de dormir. É perceptível nas entrelinhas o carinho com que a história foi tratada pela autora. Embora não seja o gênero de minha primeira escolha, eu curti muito a leitura e a oportunidade de sair da minha zona de conforto. Isso sem falar em todas as metáforas envolvidas no texto, que fala tanto da questão da intolerância, quanto das provas que todos nós passamos pela vida.

O livro está disponível em e-book apenas, na Amazon. 

"Théo e a Maldição das Cores"
Anaté Merger
Independente
Número de páginas: 296 
ASIN: B01B0H3FUI
Idioma: Português

sábado, 27 de janeiro de 2018

SAIU! Resultado do sorteio Amor Nacional


Autores, blogueiros literários e Instagram literários se uniram para divulgar escritores(as) nacionais e incentivar a nossa literatura. E assim temos VINTE E SETE livros para sortearmos entre NOVE leitores de todo o BRASIL!

Vamos ao resultado?  Então veja quem ganhou cada um dos KITs abaixo!



Kit 1




GABRIEL você terá que enviar o ENDEREÇO de entrega para nós por email em até 5 dias para o email: mulheresromanticas@gmail.com com o assunto "Ganhei o KIT 1 no #SorteioAmorNacional"



Kit 2

MILENA você terá que enviar o ENDEREÇO de entrega para nós por email em até 5 dias para o email: mulheresromanticas@gmail.com com o assunto "Ganhei o KIT 2 no #SorteioAmorNacional"



Kit 3


SUELLEN você terá que enviar o ENDEREÇO de entrega para nós por email em até 5 dias para o email: mulheresromanticas@gmail.com com o assunto "Ganhei o KIT 3 no #SorteioAmorNacional"



Kit 4



DEISE você terá que enviar o ENDEREÇO de entrega para nós por email em até 5 dias para o email: mulheresromanticas@gmail.com com o assunto "Ganhei o KIT 4 no #SorteioAmorNacional"


Kit 5




SABRINA você terá que enviar o ENDEREÇO de entrega para nós por email em até 5 dias para o email: mulheresromanticas@gmail.com com o assunto "Ganhei o KIT 5 no #SorteioAmorNacional"


Kit 6



ELISAMA você terá que enviar o ENDEREÇO de entrega para nós por email em até 5 dias para o email: mulheresromanticas@gmail.com com o assunto "Ganhei o KIT 6 no #SorteioAmorNacional"


Kit 7



ALINE você terá que enviar o ENDEREÇO de entrega para nós por email em até 5 dias para o email: mulheresromanticas@gmail.com com o assunto "Ganhei o KIT 7 no #SorteioAmorNacional"



Kit 8


CAROLINE você terá que enviar o ENDEREÇO de entrega para nós por email em até 5 dias para o email: mulheresromanticas@gmail.com com o assunto "Ganhei o KIT 8 no #SorteioAmorNacional"


Kit 9




LARA você terá que enviar o ENDEREÇO de entrega para nós por email em até 5 dias para o email: mulheresromanticas@gmail.com com o assunto "Ganhei o KIT 9 no #SorteioAmorNacional"


Os prêmios serão enviados em até 60 dias, a contar da data de envio do endereço. 

Agradecemos a todos a participação!




















quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

Nacionais 2018 #2 Alina - Emília Lima

Seguindo na proposta de leitura de autoras nacionais, trago o romance de época "Alina". É o romance de estréia da autora baiana Emília Lima, e o primeiro volume da série Família Cirilo. 
Um dos pontos positivos de Alina é retratar um período histórico pouco explorado nos romances de época: o início da colonização do Brasil. O livro é narrado em terceira pessoa (brindemos a isso!) e transita por pontos de vista de vários personagens.
A narrativa tem altos e baixos e eu senti um pouco do impacto disso na fluidez da leitura. Há momentos em que o enredo cria uma certa "barriga", mas não chega a nos desestimular.
Alina, a protagonista que dá nome ao livro, só me conquistou mesmo a partir da metade da história. Seu amor por Pedro, para mim, soou mais como algo juvenil e que, na presença poderosa de Naru, a meu ver jamais teria sobrevivido. Falando em Naru, eu não gostei do destino que a autora deu a ele. Achei indigno da trajetória do personagem, talvez o melhor do livro. Me pareceu uma saída forçada para que se chegasse ao desfecho dado pela autora. Já Pedro não me convenceu. Não consegui criar empatia por ele, por mais que tenha tentado. Sei que a proposta da história era mostrar um grande amor que sobreviveu ao tempo e às vicissitudes da vida. Mas não rolou essa identificação com o casal protagonista, aquela em que a gente torce com todas as forças. Minha torcida mesmo foi pelo Naru!
Apesar desses pontos, Alina é um bom romance de época, com cenas doces, delicadas e sem muitos sobressaltos.

"Alina - Família Cirilo #1"
Emília Lima
Pedrazul Editora
ISBN: 978-85-66549-454
Número de páginas: 188
Idioma: português

quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

Nacionais 2018 #1 Um Amor Conquistado - Silvia Spadoni

Conheci este livro num encontro com a autora Silvia Spadoni, no ano passado. Além dela ser um amorzinho, ainda autografou meu exemplar! Como eu andava numa correria danada, acabei so pegando nele este ano. E foi uma leitura muito agradável. Um verdadeiro "retorno às florzinhas" que me deixou bem nostálgica.
Quem começou no mundo dos romances através dos antigos romances "florzinhas" sabe do que estou falando! Eram romances de banca, no estilo Barbara Cartland, cheios de doçura e romantismo. "Um Amor Conquistado" me fez lembrar desses livrinhos. Numa escrita fluida e muto romântica, Silvia nos leva de volta aos dias turbulentos da Revolução e ao início do período do Terror.
Sem pretensões de se tornar um livro de referência do gênero, ele cumpre o que propõe: entreter e distrair, nos afastando da chatice diária.
Alguns pontos me incomodaram um pouco, como a súbita desenvoltura sexual da protagonista, retratada como uma moça esperta, mas não experiente. Houve também algumas situações que foram desenroladas de uma forma um pouco apressada. Mas tirando esses detalhes bem pontuais, a história foi gostosa de ler.
Minha a edição é impressa; bem caprichada, com tamanho da fonte e cor do papel bem confortáveis para a leitura. 
Um Amor Conquistado faz parte da trilogia Amores que conta ainda com "Um Amor Inesperado" e "Um Amor Apaixonado", todos lançados pela Pedrazul, em e-book e impressos.

"Um Amor Conquistado"
Silvia Spadoni
Pedrazul Editora
ISBN: 978-85-66549-48-5
Número de páginas: 208
Idioma: português