Prateleiras

domingo, 16 de maio de 2010

Amante Eterno - J.R. Ward

Muito já se escreveu sobre o segundo livro da Irmandade da Adaga Negra, o que fala sobre o Rhage, o irmão que carrega a besta dentro de si.
Rhage é belíssimo, louro, alto, rosto perfeito, corpo idem. Um viking moderno. É também o mais forte e o mais sexual de todos os Irmãos. Amaldiçoado pela Virgem Escriba, ele precisa constantemente de sexo ou de uma boa luta, para manter o domínio sobre a besta, a criatura na qual se transforma quando perde o controle.
Num desses estranhos acasos do destino, Mary, uma mulher "comum" e portadora de uma grave leucemia, acaba cruzando o caminho do destemido guerreiro. E depois deste episódio, quando Rhage definitivamente se encanta com a doce e delicada Mary, as vidas de ambos sofrem uma grande reviravolta.
Bem, não vou falar aqui das cenas hot, de como o Rhage é sexy e amante full-time. Lógico que isso faz você suspirar ao longo do livro, mas o que me tocou na história e me fez achar que ela foi melhor do que o livro (bom) do Wrath foram a doçura e a profundidade das emoções que a J R Ward conseguiu transmitir com o texto. E não só nas cenas que envolvem o casal protagonista. Os personagens secundários estão com tudo neste livro,  principalmente John Matthew - o misterioso rapaz que se aproxima de Mary - e Bella, amiga da protagonista.
Aliás, John e Wellsie, a companheira de Tohrment, protagonizam uma das cenas mais lindas que já li, e que foi uma das que me fez chorar neste livro.
De alguma forma, o foco na exploração dos visuais dos Irmãos ficou menos evidente, passando mais para suas personalidades e para seus conflitos interiores. Apesar das cenas carregadas de sex appeal, é nas emoções que o livro se concentra.
A doença de Mary, que podia se tornar um grande apelo ao drama, com descrições lacrimogêneas do tratamento, cenas de quimioterapia, queda de cabelos e todo aquele blá-blá-blá no estilão "Love Story", acaba ficando mais no pensamento da heroína, como uma sombra, uma ameaça constante que habita dentro dela, assim como a besta habita o íntimo de Rhage. Sua luta maior não é contra o câncer que ameça consumi-la e matá-la e sim, contra a própria desesperança, o cansaço, a falta de auto estima e de fé.
E ao mesmo tempo em que Rhage luta para resgatar isso nela e convencê-la de seu amor, ela luta para fazê-lo vencer a besta que o atormenta.
Enfim, o livro é uma delícia. Li em dois dias, e teria lido mais rápido, se tivesse tido tempo. É mais um daqueles que te prende do início ao fim.
Saldo final: NOTA DEZ/MEGA HOT.

BJS da Drica ;-)

FICHA TÉCNICA:
Título: Amante Eterno
Autora: J R Ward
Título Original: Lover Eternal
Publicação Original: NAL Signet, 2006
Publicação no Brasil: Universo dos Livros, 2010
445 páginas.


RESUMO:
Nas sombras da noite em Caldwell, Nova York, desenrola-se uma sórdida e cruel guerra entre os vampiros e seus carrascos os redutores. Há uma irmandade secreta, sem igual, formada por seis vampiros defensores de sua raça. Possuído por uma besta letal, Rhage é o membro mais perigoso da Irmandade da Adaga Negra.

Dentro da Irmandade, Rhage é o vampiro de apetites mais vorazes. É o melhor lutador, o mais rápido a reagir, baseado em seus instintos, e o amante mais voraz, porque em seu interior arde uma feroz maldição lançada pela Virgem Escriba. Possuído por esse lado sombrio, Rhage teme constantemente que o dragão dentro de si seja liberado, convertendo-o num perigo letal para todos à sua volta.

Mary Luce, uma sobrevivente de muitas adversidades, entra de maneira involuntária no universo dos vampiros, contando apenas com a proteção de Rhage. Concentrada em combater sua própria maldição, potencialmente mortal, Mary não está em busca de amor e perdeu sua fé em milagres tempos atrás. Mas quando a intensa atração animal de Rhage se transforma em algo mais emocional, ele sabe que Mary precisa ser sua e de mais ninguém. E enquanto os inimigos fecham o cerco, Mary luta desesperadamente para alcançar a vida eterna com aquele que ama...

Um comentário:

Débora Lauton disse...

Ai to lendo esse... comecei ontem e quando vi já era 1 da manhã e eu já tinha lido mais da metade... também estou achando esse melhor que o primeiro, quem não queria um desses irmãos para si??

beijos,
Dé...