Prateleiras

sábado, 19 de novembro de 2011

Amante Consagrado JR Ward

Eu estava curtindo a ressaca do Vishous quando encarei "Amante Consagrado".  Talvez por isso tenha começado a leitura com o pé meio atrás. A decepção com o livro anterior havia sido grande. 
Não posso dizer que este tenha sido um dos melhores livros da irmandade. Mas, mesmo assim, foi surpreendentemente mais agradável, e melhor, do que o anterior. 
Phury sempre foi um dos Irmãos "secundários", sempre ficou meio escondidinho. A maior referência de Phury era ser "o irmão de Zsadist". E também o seu salvador. E é daí, desse papel secundário, à sombra, que vem o perigo.
Logo de início se percebe que Phury chegou ao fundo do poço. Descontrolado, ele está sofrendo pressão por todos os lados. Assumiu o posto de Primaz, originalmente destinado a Vishous, mas não consegue se relacionar com Cormia e cumprir seu papel. Continua apaixonado por Bella, a shellan grávida de seu irmão, e é obrigado a conviver com o casal todos os dias. Está cada vez mais dependente das drogas, e sua diversão atual é torturar redutores, colocando a si mesmo e aos outros irmãos em risco, durante as caçadas. [Que feio, Phury...] Espelhando a confusão interior do nosso não-tão-herói, temos o "Mago"; uma espécie de alter ego maligno que vive na cabeça de Phury, e que tem como objetivo primordial na vida ferrar com o cara. Na verdade, o Mago nada mais é do que o conjunto de toda culpa, raiva, revolta e até mesmo inveja (!) que o moço reprimiu a vida inteira. A coisa fermentou, cresceu e bum!, explodiu. (quem é favor de contratar uma terapia de grupo pra Irmandade levanta a mão).
Cormia, a "mocinha", ficou um pouco perdida no meio de toda essa densidade dos conflitos de Phury. Mas não teve nada que me fizesse antipatizar com ela. Pelo contrário. Sua amizade com o sofrido John nos brinda com momentos muito doces e delicados, que amenizam o clima barra pesada da história.
Gostei também de ver que a autora, mais uma vez, fugiu do óbvio, evitando explorar a deficiência física de Phury e usá-la como justificativa primeira para todas desgraças dele.
Bem, paralelo a isso temos o drama da gravidez difícil de Bella; o cada vez mais frágil equilíbrio entre a glymera e o Rei Wrath; e as dificuldades de John, Quinn e Blay com a fase pós-transição, a sexualidade e o pentelho do Lash (ô praga!). Falando nisso, nesse livro ele vai arranjar uma confusão que vai repercutir no destino de TO-DOS (cala-te boca, senão vira spoiller...). 
Preparem seus lencinhos. Teremos cenas muuuuito emocionantes, teremos tragédias chocantes, revelações surpreendentes, personagens novos e a preparação para as grandes revoluções que virão com o livro do Rehvenge, "Amante Vingado".
O que falta em ação em "Amante Consagrado", sobra em revelações e emoções. Não é J R Ward em sua melhor forma, mas já é uma boa recuperação.


Amante Consagrado (IAN #6)
J R Ward
Universo dos Livros, 2011
547 páginas
Preço (média) R$ 36,00

Nenhum comentário: